No fim da tarde

Se numa tarde dessasA mim voltasses.E, dos teus lábios de batom encarnado,Aquele vento morno, lá do passado,Avivasse antigas promessas,Eu ainda acreditaria?Aquelas que outroraEm meus ouvidos sopraras,Atiçando-me anseios vespertinosCom juras de vida e destino.Se fizesses aquelas promessas,Eu ainda acreditaria?Sob o eco das palavras, distantes,Findaram-se as tardes nos montesQue a esperança erigiu,Com blocos de dias vazios.Se voltasses … Continuar lendo No fim da tarde